EUA concordam em realizar diálogos indiretos para reviver pacto nuclear com Irã – 02/04/2021 – Mundo

Autoridades de Irã e EUA viajarão a Viena na próxima semana como parte dos esforços para reviver o pacto nuclear de 2015 entre Teerã e as maiores potências do mundo, embora os dois países não planejem negociar diretamente, confirmou o Departamento de Estado americano nesta sexta-feira (2).

Mesmo sem diálogos cara a cara, a presença de Teerã e Washington na capital austríaca a partir do dia 6 marcará uma importante etapa para trazer todos os lados do acordo de volta à discussão. O objetivo é chegar a um novo trato dentro de dois meses, afirmou uma autoridade da União Europeia (UE).

O ex-presidente Donald Trump tirou os EUA do acordo em 2018 e reimpôs sanções ao Irã, provocando a violação, por parte de Teerã, de algumas das restrições nucleares acordadas anteriormente. O sucessor do republicano, o democrata Joe Biden, por sua vez, quer reviver o trato, mas os dois países discordam sobre quem deve dar o primeiro passo para retomar as negociações.

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, confirmou que Washington se reunirá com parceiros europeus, além de Rússia e China, para identificar temas relativos ao retorno ao pacto nuclear.

“Ainda estamos no começo e não prevemos um avanço imediato, pois haverá discussões difíceis pela frente. Mas este é um passo saudável”, afirmou Price em um comunicado. “Não prevemos conversas diretas com o Irã por meio desse processo, embora os EUA permaneçam abertos a elas”, disse Price.

As negociações buscarão formular uma lista de sanções que os americanos poderão retirar e, do outro lado, de compromissos que os iranianos podem cumprir em relação a seu programa nuclear, segundo um diplomata da UE. Alcançar um consenso, diz ele, deve levar mais de dois meses de diálogos. O funcionário afirma que, caso as negociações fracassem após este período, “definitivamente seriam más notícias”.

Nesta sexta, Irã, China, Rússia, França, Alemanha e Reino Unido, todos membros signatários do acordo de 2015, realizaram encontros virtuais para detectar onde é possível progredir para a retomada do trato.

No Twitter, o chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, escreveu que o objetivo é finalizar rapidamente a retirada de sanções, o que, segundo ele, será seguido por “medidas corretivas” de Teerã. “Sem reuniões entre Irã e Estados Unidos. Desnecessário”, acrescentou o ministro das Relações Exteriores do país persa.

Uma autoridade iraniana disse que o enviado dos EUA ao Irã Rob Malley e o Conselheiro de Segurança Nacional Jake Sullivan devem ir a Viena, mas descartou quaisquer reuniões diretas ou indiretas entre funcionários dos dois países na capital austríaca.

Segundo a estatal Press TV, citando uma fonte não identificada, o Irã rejeitará uma retirada passo a passo das sanções na reunião da próxima semana. “Em linha com a orientação imutável do líder [supremo] do Irã [o aiatolá Ali Khamenei], qualquer resultado que se baseie em uma remoção passo a passo das sanções ou em negociações indiretas com os EUA será inaceitável “, disse a fonte, de acordo com a Press TV.

Sob o acordo nuclear, os Estados Unidos haviam concordado em retirar punições a Teerã em troca da contenção do programa nuclear iraniano, fazendo que seja mais difícil ao país persa produzir armas nucleares, uma ambição que Teerã nega ter.

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, celebrou a retomada das negociações e destacou que, nesse caso, o tempo é essencial. “Um acordo que seja outra vez totalmente respeitado seria uma vantagem para a segurança de toda a região e a melhor base para negociações sobre outras questões importantes de estabilidade regional”, afirmou ele em um comunicado.




Source link

Sobre wily

Verifique também

Durante pandemia, direita domina debate sobre China no Twitter – China, Terra do Meio

Se na esfera geopolítica o mundo parece caminhar para uma polarização em blocos pró e …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *