Empresa de SC exporta pés de frango para a China e Hong Kong

A BRF, que no ano passado faturou R$ 39,47 bilhões, exporta anualmente grande quantidade de cortes de suínos e de frangos para países de quatro continentes. Um deles, os pés de frango, tem preferência cultural na China e em Hong Kong, na Ásia.

O gosto dos consumidores faz com que o preço do corte nos supermercados e casas especializadas em carnes seja maior do que o cobrado pelo peito e coxa. Os pés podem ser apreciados em forma de ensopado ou em uma espécie de snack embalado e pronto para o consumo.

“Eles gostam de preparar o produto bem frito como se fosse uma pipoca e isso faz parte da alimentação tradicional deles”, destaca o gerente Global de Relações Institucionais da BRF, Luiz Tavares.

“No Japão e na Coreia do Sul, por exemplo, a preferência é maior pela coxa e sobrecoxa. Nos países do Oriente Médio, os consumidores preferem o frango griller e, na Europa, o peito. Geralmente, cada região do mundo tem um apreço maior por uma parte específica do produto e é mesmo por uma questão cultural e pelos hábitos alimentares”, complementa.

Em Santa Catarina, as plantas de Concórdia e Videira concentram as vendas de pés de frango para os dois mercados. Já as unidades de Capinzal e Chapecó exportam para Hong Kong. No Brasil, os pés são utilizados, normalmente, como ingredientes para ração de animais de estimação e pela indústria de cosméticos e de medicamentos para produção de suplementos de colágeno por conta da proteína da cartilagem.

No caso da proteína de frango, a BRF representa cerca de 12% do comércio global. Se a Companhia fosse um país, seria o sétimo maior produtor de carne de frango do planeta, uma nação movida pela gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa voltada a proporcionar vida melhor a todos, do campo à mesa.

Com informações ND Mais 




Source link

Sobre wily

Verifique também

Pedido de vacina para juiz, promotor e advogado abre polêmica em SC

Após o Conselho Carcerário de Joinville (CCJ) cobrar que juízes, assessores, promotores e advogados que …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *